Quando se trata de comprar um imóvel para investir, muitas pessoas ainda confundem o significado entre “lote” e “terreno”.  Há quem acredite que sejam a mesma coisa, mas existem diferenças consideráveis entre um e outro. Além de metragens distintas, os lotes e terrenos possuem características específicas de infraestrutura e precificação.

Para te ajudar a compreender a diferença entre lote e terreno, e evitar erros na hora da compra, preparamos alguns tópicos explicativos. Acompanhe:

Entendendo a diferença entre lote e terreno

De acordo com a legislação imobiliária, um terreno é uma grande porção de terra destinada à construção de imóveis ou atividades agropecuárias.

Trata-se de um espaço localizado em área urbana ou rural, onde podem ser edificados apartamentos, casas, condomínios, prédios empresariais, ou realizadas atividades de criação de animais ou plantação. Assim, um terreno é comercializado por inteiro e o seu preço é calculado por metro quadrado ou hectare.  

No entanto, qualquer terreno pode ser dividido em porções menores de terra, transformando-se em um loteamento.  Esses pequenos pedaços de terra, geralmente do mesmo tamanho, são comercializados separadamente e definidos como “lotes”.  É muito comum que eles sejam reservados à construção de casas geminadas, sobrados, prédios e outras construções residenciais ou comerciais.

Por que investir em um lote?

Depois de compreender a diferença entre lote e terreno, você deve estar se questionando se vale a pena investir em um “pedaço de terra”. A resposta é: sim, com certeza! Basta pensar que, mesmo com as instabilidades da economia, os lotes não sofrem desvalorização.

Ao contrário de aplicações financeiras que são extremamente voláteis, o lote é um investimento materializado que acompanha a valorização do entorno e o crescimento constante do setor imobiliário.

Gostou deste conteúdo? Então leia os outros artigos da MGerais e esclareça todas as suas dúvidas sobre compra de lotes!